20/12/2019 às 12:05 - Atualizado em 01/01/2020 às 09:02

Tendência para 2020: terceira idade deve movimentar o turismo

Booking.com/Divulgação

Por Bruna Ouchi

Os 60 são os novos 50, já diria o ditado. E é a mais pura verdade: os que já ultrapassaram a casa dos 60 estão mais ativos.

Praticam esportes, fazem cursos, começam uma faculdade e, claro, viajam. Não à toa: já que a população acima de 65 anos no Brasil está crescendo cada vez mais – cerca de 26% entre 2012 e 2018, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – , consequentemente, o planejamento da aposentadoria também aumenta.

É o que comprova a nova edição da pesquisa feita todos os anos pela Booking.com, plataforma global de turismo, que aponta as grandes tendências de viagem para o ano seguinte, e também para o futuro. O levantamento entrevistou 22 000 viajantes de 29 mercados, incluindo o Brasil, e analisou mais de 195 milhões de avaliações verificadas de hóspedes para listar as principais projeções no universo do turismo.

Para 2020, um dos destaques foi o turismo na terceira idade. Esse público tem grandes planos relacionados ao assunto: cerca de 77% dos viajantes brasileiros nessa faixa etária dizem que viajar será a melhor forma de aproveitar o tempo livre que terão com a aposentadoria.

Uma das tendências apontadas pela pesquisa é que, com a aposentadoria se descolando de uma idade específica ou da ideia de abandonar totalmente o mercado de trabalho – e com o aumento do número de pessoas que dizem estar ativamente se programando para se aposentar mais cedo – cada vez mais, se tornando sinônimo de “planejamento de viagens de aventura”.

Além disso, 65% pretendem ousar mais em suas escolhas de viagem quando se aposentar e 29% daqueles que já se aposentaram estão planejando um ano sabático – reservando tempo para viajar por meses sem interrupções.

É o caso de Maura Vilela, 72 anos, que se aventurou fazendo sua primeira viagem sozinha em 2005, para Fortaleza (CE). Desde então, não parou mais. Passou por destinos como Aracaju, Salvador, Maceió, Recife, Natal, Brasília, Paraíba, além de cidades de Minas Gerais, estado onde mora, como Montes Claros, Patos de Minas e outras menores.

“Também já viajei com minha filha para Uruguai e México, além da Argentina com amigas”, conta Maura. A próxima parada sozinha é a Europa, onde visitará Portugal, Espanha, França, Bélgica e Holanda. “Estou ansiosa, pois é a primeira vez que vou à Europa, um sonho que sempre tive. Também porque não falo outra língua e não sei se vou me adaptar à comida, mas sempre fui corajosa”, diz.

E Maura promete: enquanto aguentar, continuará viajando. “Como diz a minha filha, depois que o ‘bichinho da viagem’ te morde, não tem como fugir. Até mesmo o medo de ficar muito tempo em um avião eu enfrentei. Agora, nada me segura!"

Outra tendência destacada na pesquisa da Booking.com é a de que cada vez mais avós farão suas viagens acompanhados pelos netos. Cerca de 81% dos avós entrevistados concordam que se sentem rejuvenescidos ao passar mais tempo com os netos. Além disso, 70% deles acreditam que os pais precisam, de vez em quando, tirar uma folga dos filhos.

Alenka Minetto, 65, é uma representante desse movimento. Aposentados, ela e o marido, Leo, sempre que podem, pegam as netas Sofia, 8, e Alice, 5, para passear em lugares culturais, como museus e espetáculos de balé. Nas férias escolares de julho deste ano, por exemplo, os quatro passaram uma semana em um resort em Campos do Jordão (SP), sem os pais das crianças. “É algo muito prazeroso porque revivemos um pouco do que fazíamos com os filhos“, conta a avó.

Alenka fica muito grata em poder passar esse conhecimento e ter um tempo com as netas. Nas próximas férias, em janeiro, o casal vai ganhar outras duas netinhas. E ela diz que pretende fazer o mesmo com as gêmeas futuramente. As próximas viagens serão ainda mais animadas.

Fonte: Viagem e Turismo