05/02/2020 às 16:40 - Atualizado em 05/02/2020 às 17:16

Setor de alimentação deve gerar cerca de 70% dos empregos temporários no Carnaval

Fernando Maia | Riotu

O mês de fevereiro inicia com grandes expectativas para o principal evento do calendário turístico brasileiro: o Carnaval. De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), 2020 promete alcançar o maior volume de receitas desde 2015.

A estimativa é de que, neste ano, a festa movimente R$ 8 bilhões na economia do país, um aumento de R$ 80 milhões em relação ao ano passado.

A entidade sindical ainda avalia a possibilidade de ocorrer a contratação de 25,4 mil trabalhadores temporários para este período, sendo considerado 2,8% a mais do que em 2019.

"O Carnaval é de extrema relevância por fortalecer a nossa economia com a movimentação dos turistas em diferentes regiões do país. Esta época costuma auxiliar na geração de empregos e também de rendas. De modo geral, o setor de alimentação deverá proporcionar cerca de 70% das oportunidades de emprego durante o evento”, pontua Alexandre Sampaio, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA). 

Ainda de acordo com a CNC, regionalmente, Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia costumam ser os responsáveis por mais da metade da movimentação financeira desta época, com R$ 2,68 bilhões, R$ 1,94 bilhão e R$ 1,36 bilhão, respectivamente, de volume financeiro. 

Para o serviço online Google Voos, ferramenta que apresenta o preço de passagens das companhias aéreas juntamente com o número de escalas e a duração da viagem, Salvador, Porto Seguro e Rio de Janeiro foram os destinos mais buscados para a data festiva. 

“Este feriado é muito popular – e querido – entre os brasileiros. Vemos o interesse da população em conhecer diferentes culturas com a movimentação dos turistas. Em janeiro, a hotelaria carioca, por exemplo, já apresentava uma taxa de ocupação média de 78,4%, de acordo com o Sindicato dos Meios de Hospedagem do Município do Rio de Janeiro”, informa Sampaio.