24/06/2020 às 12:50

Os restaurantes precisam de ajuda

Queven por Pixabay

A situação é dramática. Com as portas fechadas desde o início da pandemia do Coronavírus, em meados de março, os bares e restaurantes cariocas estão respirando por aparelhos.

Até o momento, não houve nenhuma ajuda governamental efetiva para os estabelecimentos, que não têm capital de giro para se manterem sem funcionar, muito menos condições de reabastecer suas cozinhas e estoques para uma reabertura. Além disso, apenas 50% dos estabelecimentos possui o serviço de delivery. Mas a receita com as entregas representa só 25% do faturamento necessário. Fora as altíssimas taxas que os aplicativos cobram, que chegam a 25% do valor da conta. Até o momento, cerca de 27.500 pessoas do setor - que emprega indiretamente 500 mil cariocas - já perderam seus empregos no Rio. 

O resultado é uma sucessão de notícias tristes a cada semana: mais de mil estabelecimentos cariocas já anunciaram que não irão reabrir. E, se a situação continuar como está, sem auxílio governamental, a previsão do SindRio é de que 1/3 dos bares e restaurantes do Rio fechem definitivamente suas portas até o final do ano. E, junto com eles, um pouco da alma carioca se vai. 

Fonte: SindRio