28/03/2018 às 12:48 - Atualizado em 29/03/2018 às 12:41

MTur lança Plano Nacional de Turismo durante reunião do Conselho Nacional de Turismo

Alexandre Sampaio, coordenador da Câmara Temática do PNT, afirma que documento propõe caminhos modernos para que sejam alcançados, de forma célere, os objetivos do setor

O Ministério do Turismo (MTur) lançou nesta terça-feira (27.03), em Brasília, o Plano Nacional do Turismo (PNT) 2018-2022, instrumento que estabelece as diretrizes e estratégias para a implementação da Política Nacional de Turismo até 2022. O lançamento aconteceu durante a 51ª Reunião do Conselho Nacional do Turismo (CNT), que também marcou os 18 meses de gestão do ministro Marx Beltrão à frente da pasta, sendo a sua última participação como ministro.

O novo Plano Nacional de Turismo prevê ampliar em dois milhões, até 2022, o número de empregos gerados pelo setor, passando de 7 milhões para 9 milhões de postos de trabalho. Também prevê inserir 39,7 milhões de brasileiros no mercado consumidor de viagens; quase duplicar o número de turistas internacionais no país, passando de 6,6 milhões para 12 milhões; e quase triplicar a receita obtida com esses turistas, saindo dos atuais US$ 6,6 bilhões para US$ 19 bilhões em 2022.​

Em sua fala, o ministro Marx Beltrão fez um relato sobre sua experiência à frente do MTur, destacando pontos altos de sua gestão, como a implementação do visto eletrônico para Austrália, Japão, Canadá e Estados Unidos. Sobre o PNT, ele fez questão de ressaltar o aspecto coletivo da construção do documento, que contou com a colaboração de representantes dos segmentos que compõem o trade turístico. “Temos em mãos um instrumento que direciona políticas efetivas, orienta os gestores sobre as prioridades do setor e traz metas factíveis para o Brasil se tornar uma potência mundial no mercado de viagens”, afirmou Beltrão.

A base do PNT 2018-2022 foi construída dentro de Câmara Temática constituída para este fim, no âmbito do Conselho. Estruturadas as diretrizes, as áreas técnicas responsáveis por cada tema dentro do MTur trabalharam no desenvolvimento das linhas mestras, iniciativas e estratégias para a conquista das metas apresentadas.

De acordo com o coordenador da Câmara Técnica do PNT, o presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA), Alexandre Sampaio, o documento norteia as ações governamentais voltadas ao Turismo, dando caminhos e orientações para o Brasil avançar nesse setor. “O documento foi construído como uma proposta nacional para o setor de turismo, propondo caminhos modernos para alcançarmos, de forma célere, nossos objetivos. É um Plano amplo e propositivo, que pode ser ajustado ao longo dos anos para se adequar à realidade de nosso setor”, disse Sampaio.

O PNT traz um panorama do setor do turismo hoje no Brasil e no mundo, identifica os gargalos e elenca as iniciativas e estratégias prioritárias. Como novidade, o PNT 2018-2022 aborda temas como  o incentivo a soluções de segurança pública que envolvam o setor turístico e integrem os planejamentos  estaduais e municipais, considerando como uma das estratégias fundamentais para a qualidade da experiência no país; a instituição de uma rede nacional de observatórios de turismo; o fortalecimento do trabalho compartilhado em redes de conhecimento; o estímulo ao desenvolvimento de destinos turísticos inteligentes, com foco na inovação e tecnologias interativas e criativas; e a elaboração de um Plano Integrado de posicionamento da imagem do Brasil.

Durante a reunião, os integrantes do CNT ainda assinaram uma moção de apoio pela urgência na aprovação do PL 2724/2015, que, entre os pontos, transforma a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) em um serviço social autônomo (mais independente que a atual autarquia), propõe a abertura do setor aéreo ao capital estrangeiro e mudanças na Lei Geral do Turismo, tais como, a definição de quartos de hotéis como de uso individual para aplicação da lei de direitos autorais, e a previsão de um intervalo de duas horas de limpeza entre o check-out e o check-in na diária de 24 h.

O documento será enviado a todos os parlamentares brasileiros. A votação do PL está prevista para a próxima semana, no Plenário da Câmara dos Deputados.