26/07/2018 às 13:27 - Atualizado em 26/07/2018 às 14:15

Brasil e Portugal negociam parceria para promoção do setor gastronômico

A Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) recebeu na última terça, dia 24 de julho, representantes da agência de promoção turística internacional Turismo de Portugal.

O encontro alinhou uma proposta de ação conjunta para divulgação da culinária dos dois países, além da troca de experiências no segmento gastronômico.

A gastronomia brasileira está entre os itens mais bem avaliados pelos estrangeiros que viajam ao nosso país. De acordo com Embratur, dos quase 6,6 milhões de turistas internacionais que visitaram o Brasil em 2017, 95,2% avaliaram positivamente a culinária.

"É importante que o Ministério do Turismo, as administrações regionais e os empresários brasileiros estabeleçam estratégias para o desenvolvimento da gastronomia e do turismo do país. Uma proposta de parceria para promoções e eventos com entidades de Portugal pode ser fundamental para o setor. Principalmente porque a hotelaria e a gastronomia são itens em destaque para o turista que vem ao nosso país. Por isso, encontros que fortaleçam as propostas de parceria e negócios podem ser de grande valia para a nossa economia e para aumentar cada vez mais a nossa projeção internacional", disse o presidente da FBHA, Alexandre Sampaio.

A parceria entre Brasil e Portugal já vem sendo um dos temas debatidos também pela Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação. No ano passado, Alexandre Sampaio viajou a Lisboa e fez parte de missão empresarial da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), na qual ele é presidente do Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur). Ao lado de empresários e técnicos da CNC, Alexandre Sampaio participou da II Conferência de Lisboa sobre o Acordo União Europeia – Mercosul, que tratou sobre acordo de livre-comércio, serviços e turismo e oportunidades de negócios para o Brasil na Europa. A participação no evento foi a convite da Confederação Empresarial de Portugal (CIP) e da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Brasileira (CCILB).